17 fevereiro 2014

Ciência Sem Fronteiras e estudantes que não falam inglês!

Oi pessoal, passando rapidinho pra compartilhar ESSA matéria que achei realmente interessante e relevante, eu mesma, infelizmente, não sou fluente em inglês, diria que sei o básico para sobreviver em uma viagem, mas não o suficiente para estudar e morar no exterior, o pior é que inglês é uma língua mais do que obrigatória hoje em dia, o ideal seria que falássemos inglês E mais uma ou duas ou mais línguas ... meu ensino de inglês na escola, foi muito fraco, não dão a devida importância e na Universidade então, nem mesmo tive de ler artigos em inglês (por enquanto). Quem acompanha o blog sabe que estive na Alemanha por uma semana, lá eu me virei com meu inglês (básico) e todos com quem falei sabiam a língua, e olha que estive em uma cidade pequena não apenas na "cidade grande". Fica o alerta e a dica, inclusive para mim.

De acordo com uma matéria da Folha que saiu neste domingo, há um número considerável de bolsistas que corre o risco de ter de voltar ao Brasil sem ter feito o curso pretendido porque não conseguiu proficiência na língua.
Isso acontece principalmente com os bolsistas que estavam em Portugal e Espanha e foram realocados para países como Estados Unidos, Canadá e Austrália. Eles correspondem a 15% do total de bolsistas.

Outra matéria relacionada!

8 comentários:

  1. Tenso isso. Eu super apoio esse programa e acho que quanto mais pessoas tiverem a possibilidade de viajar para o exterior e ter essa maravilhosa experiência que é o intercâmbio, melhor...Mas elas tem que estar preparadas para isso! Na real esse problema começa lááá na infância mesmo, quando as escolas não estão preparadas para oferecer inglês e ficamos 6 anos aprendendo o verbos to be @.@

    Beijos, Vickawaii
    http://finding-neverland.zip.net

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo Vicky, acho que tá na hora de as escolas darem mais atenção ao ensino de idiomas, inclusive acho muito interessante aquelas que ensinam inglês E espanhol, na minha ao chegar no Ensino Média a gente tinha de optar se continuava no inglês ou ia pro Esp.! ;*

      Excluir
  2. Isso é uma falha muito grande no programa, pois eles querem desenvolver nos estudantes o aprendizado de uma nova língua, mas claro que para ir temos que ter um nível consideravelmente alto nas provas (TOEFL) para que no mínimo sejamos selecionados por uma universidade estrangeira.
    Eu fui selecionada nesse último edital do Ciências Sem Fronteiras, pelas oportunidades que tive no ensino médio para estudar inglês, sempre tive facilidade e não precisei de cursinho, e também cursei 1 ano e meio de uma faculdade de letras - inglês. Então foi, relativamente fácil realizar a prova de proficiência, mas tive a oportunidade de fazê-la gratuitamente.
    Hoje, está sendo disponibilizado, em certas universidades, o Inglês Sem Fronteiras, que é um curso gratuito de preparação para o TOEFL ITP (Toefl gratuito disponível e aceito por alguns editais do CsF).
    Concordo que o ensino de línguas nas escolas do Brasil não é valorizado, a não ser que a pessoa faça um cursinho particular. Mas algumas ações estão sendo desenvolvidas para auxiliar aqueles que não tem condições monetárias para pagar cursinhos particulares e tem o desejo de fazer um intercâmbio.
    Quem tem um sonho, o alcançará de um jeito ou de outro. Só é preciso ter foco, força de vontade e iniciativa! Estudar sempre faz parte, e é o único jeito.

    Aliás, adorei o post! Gosto como tu escreve e expõe tuas ideias! Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho que a Espanha é tranquilo e devia ser mantida, pq ainda manteria o objetivo de aprender outra língua, sem contar que o intercâmbio cultural já é uma coisa maravilhosa, mas toda essa confusão que tem surgido levanta essa questão do idioma e onde o problema começa?! É isso Fê, independente do ensino se a pessoa se dedicar ela aprende, mas seria muito interessante contar com o sistema educacional para isso, embora gere outra discussão já que o sistema tem várias falhas, infelizmente!
      Ah, boa sorte na seleção, tenho certeza que tu vai conseguir <3

      Excluir
    2. Bah, certamente se o ensino fosse como deveria ser.. se fosse de qualidade seria muito melhor, mesmo pelo CMSM o ensino era fraco no que diz respeito ao ensino de línguas. Tem muitas falhas, eu tive sorte, por assim dizer, pq muita gente que se encaixava nos pré-requisitos não teve o nome aprovado pela CAPES, tá muto enrolado!
      #CampanhaEnsinoDeLínguasDeQualidadeNasEscolasJá (uma revolta minha como ex-estudante do curso de Letras-InglÊs da UFSM hihih)

      Obrigada pelo apoio *-* se eu for, vai ter que ir me visitar s2

      Excluir
  3. Acho esse programa do governo um máximo, sempre quis fazer parte dele, rs. Mas que chato essa situação, como disse um comentário lá em cima, isso é de infância.
    Ps: já troquei a imagem de divulgação e curti a fan-page, rs. Beijos.
    http://inestantevirtual.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Estou louca para participar do Ciências Sem Fronteiras e quero me inscrever no próximo edital. Acho que cada um tem que saber seu nível de inglês e ver se vale a pena arriscar, muita gente está indo sem saber muito da língua e acaba não conseguindo acompanhar as aulas. Quando for a minha vez, pretendo saber o bastante para poder entender o conteúdo das aulas e me virar pela cidade.

    http://temponaoperdido.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato Tarsila, cada um sabe seu nível e não adianta simplesmente querer a oportunidade da viagem se chegando lá tu não vai ter condições de acompanhar a aula e conquistar os objetivos do programa! Boa sorte desde já \o\

      Excluir

Obrigada pela visita, agora que já leu o post não deixe de dizer o que achou, críticas positivas e negativas ... sugestões ...! "Um blog se alimenta dos seus comentários". ;*

Acompanhe-me no face:

Quem Escreve?

Mônica. Gaúcha, 22 anos, apaixonada por livros, línguas estrangeiras, corujas e pessoas criativas. Futura professora de Espanhol, ama compartilhar suas experiências e devaneios no blog.

Comments

Contact Us

Nome

E-mail *

Mensagem *